Um finados diferente - 02 de novembro de 2021

Aprendi com a vida que não basta agradecer o que recebemos, mas que devemos agradecer as tragédias que não vivemos.

Acordei melancólica, com aquela sensação de dia nublado, onde você sente a brisa fria passar pelo seu rosto e automaticamente você sente aquele calafrio na espinha.

O dia está triste!

Chegamos ao Dia de Finados e como não pensar no massacre ocasionado pela pandemia?

Mais de 600.000 mil mortos no Brasil!

Para qualquer lado que eu vire, eu sinto a dor pairando no ar!

Então, neste dia, celebremos e homenageemos a todos que se foram.

Eu acredito que relembrar com carinho das pessoas que marcaram as nossas vidas e que já partiram é uma maneira de mantê-los vivos em nossas memórias.

Para mim, hoje é um dia de luto e de respeito, sem questionamentos ou porquês.


O luto é o momento que deve ser vivido e sentido em toda a sua profundidade e representação. Viva o seu!

O respeito é no entendimento de que a morte vem em momentos inesperados e é sempre um momento difícil emocionalmente para todos aqueles que perdem alguém importante.

O dia está triste!

Não há religião, não há entendimentos, não há explicações, simplesmente não há....

Só há um vazio.

Para todas os familiares e amigos que perderam alguém na pandemia, minha solidariedade.

Até a próxima!!! Se cuidem!!!

Felicidades!

Mírcia Ramos

Texto revisado por Ana Elisa Carvalho de Aguiar – Professora de Língua Portuguesa

Produção Virtual: Hannah Sloboda



43 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo